NOTÍCIAS

Confira as principais matérias do setor e fique por dentro!

Análise swot: o que é e como aplicar?

Análise swot: o que é e como aplicar?

Tomamos diversas decisões diariamente, seja no âmbito pessoal quanto no profissional. Como ter certeza que está trilhando o caminho correto? Como planejar de maneira mais eficaz para evitar problemas futuros? A análise SWOT pode ser uma excelente aliada nesse sentido. Quer entender melhor como ela funciona e quando aplicá-la? Confira nossa reflexão no texto de hoje.

O que é análise SWOT?

Trata-se de uma ferramenta de gestão que ajuda na análise da viabilidade de um projeto.
Ela pode ser implementada tanto para executar uma nova ideia dentro de uma empresa já existente, quanto para dar start em um novo projeto (uma startup, por exemplo).
Em inglês, SWOT significa: Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças), por isso também conhecida como Análise FOFA (em português).

Qual a importância de fazer a análise SWOT?

Avaliar com cuidado os pros e contras de uma nova ideia ou projeto é essencial para obter mais chances de sucesso na empreitada. O diagnóstico ajuda a evitar riscos e aproveitar as oportunidades. Conhecer o negócio a fundo auxilia a identificar forças que podem ser reforçadas e que poderão ajudar no projeto, bem como trabalhar fraquezas para evitar falhas. Olhar para as oportunidades gera insights para aprimorar a ideia e saber das ameaças auxilia a adotar medidas para não prejudicar a execução. Além disso, a análise SWOT acaba sendo bem interessante porque é simples e rápida de ser implementada.

Como fazer?

O primeiro passo é reunir a equipe toda, gestores e analistas, e, por meio de uma conversa livre, levantar as percepções. É essencial ser bem realista nesse momento. Tal brainstorming trará informações importantes do ambiente interno: quais aspectos colocam a empresa em vantagem/desvantagem em relação aos concorrentes. A localização é melhor? Os processos funcionam? Tem recursos financeiros suficientes? O marketing é eficaz? Como é o acesso à matéria prima? E a negociação com fornecedores? Essa e outras perguntas importantes para o negócio devem ser respondidas nessa conversa.
Após avaliar o ambiente interno, a avaliação estará direcionada ao ambiente externo, tanto o micro quanto o macroambiente. No micro serão avaliados fatores como: comportamento dos clientes, quantidade de concorrentes, soluções alternativas ao produto/serviço ofertado, entre outros. No macro, os pontos analisados serão mais gerais, como índice econômico, tendências políticas, mudanças demográficas e etc.
Por fim, a matriz deve ser montada de forma objetiva, resumindo os pontos mais relevantes dessas percepções levantadas.  Diante do cenário encontrado, é viável seguir com o projeto? O que será necessário modificar para viabilizar? Quais pontos fortes podem ser potencializados a fim de aproveitar oportunidades? Desses pontos fortes, quais podem ser utilizados para amenizar ameaças? Essas e outras perguntas devem nortear o planejamento estratégico para implementar o projeto.

Oferecimento:

Image

Noticias Relacionadas